COMPRE NAS DROGARIAS LETÍCIA

COMPRE NAS DROGARIAS LETÍCIA
DIREÇÃO ANTÔNIO CARLOS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VIDA+MED DIRETOR PRESIDENTE ORLEANS DANTAS

VIDA+MED DIRETOR PRESIDENTE ORLEANS DANTAS
ITABUNA-BA

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Trump forçou Coreia do Norte a 'implorar por reunião', afirma Giuliani


por Associated Press | Estadão Conteúdo
Trump forçou Coreia do Norte a 'implorar por reunião', afirma Giuliani
Foto: Samira Bouaou/The Epoch Times
O ex-prefeito de Nova York e atual advogado do presidente americano Donald Trump, Rudy Giuliani, afirmou que a linha dura do governo dos Estados Unidos forçou o líder norte-coreano, Kim Jong-un, a implorar para que a cúpula entre os dois países fosse remarcada. Depois que o encontro foi cancelado por Trump, "Kim Jong-un se ajoelhou e implorou", disse Giuliani nesta quarta-feira (6). O advogado rejeitou o argumento de que seus comentários possam azedar a atmosfera antes da cúpula histórica, marcada para a próxima terça-feira, dia 12 de junho, em Cingapura. Ele afirmou que Kim deve entender que os EUA estão em uma posição de força. "Isso aponta que o presidente é a figura mais forte", disse. "E não haverá negociações úteis a menos que ele aceite isso." Segundo Giuliani, Trump não teve escolha a não ser cancelar a reunião depois de o governo norte-coreano chamar o vice-presidente americano, Mike Pence, de "manequim político" e dizer que Pyongyang está pronta para encontrar os EUA tanto na mesa de negociações como em um confronto nuclear. O advogado de Trump afirmou que Kim mudou seu posicionamento rapidamente após o cancelamento e expressou disposição para discutir a desnuclearização, pedindo que a reunião fosse realizada. "É isso que quero dizer com implorar", explicou. Giuliani ressaltou que este é seu posicionamento pessoal e que não faz parte do time de política externa dos EUA. Ele está em Jerusalém para uma série de compromissos, incluindo uma conferência de negócios em Tel-Aviv e um discurso no "OneFamily", grupo de apoio para israelenses que tiveram parentes feridos ou mortos por ataques palestinos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário